terça-feira, 14 de dezembro de 2010

LO-DEBAR


Referência para este poema: 2 Samuel, cap 9

Quem sou eu, ó Rei, para que uses de bondade comigo?
Eu, que não passo de um cão morto, imundo
De onde vim é escuro, densa terra do silêncio

Quebraram-me os pés, não posso andar
Ainda criança me tornei um manco humilhado
Mataram meus sonhos, ó Rei, fui machucado

Eu tinha futuro predestinado, a perder de vista
Palácios, luxos, riquezas e domínios
Mas indefeso caí, tão frágil fui à ruína

E agora tu vens, ó Rei, a fim de me restituir
Tudo aquilo que um dia eu tive, e perdi
Eu que quase fui um príncipe, posso outra vez sonhar?

Arrancaste-me da terra de minhas feridas
E puseste esperança diante de meus olhos
Estarei à tua mesa para cear contigo, ó Rei bondoso!

Quebraram-me os pés, silenciaram minha alma
E quando nada me restava, além de solidão
O bondoso Rei me aquece o coração

Quem sou eu, ó Rei, para usares de bondade comigo?
Sou agora um homem digno, de olhos erguidos
Nunca mais, Lo-Debar, lugar escuro de silêncio... 

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

VENTO DE MUDANÇA

E, assim, repentinamente sopra o vento da mudança
Com ele se vão costumes, olhares e passos
Com ele vem novos rostos, ideias e laços

Mesmo demorado... Ou será no tempo determinado?
Não o sei, só Deus sabe, agindo segundo Seu agrado
Tenho esperado por este vento suave... ou atormentado!

Pensei ter orado sem ter sido considerado, ouvido
Mas até o silêncio do Criador pode ser uma resposta
Até que um dia se torne em clara verdade

Eis o vento de mudança, que todo mortal anseia um dia
Um novo olhar, um novo rumo, uma nova melodia
Páginas em branco de um livro a se escrever

Vento, suave ou forte, carrega-me contigo!
Leva-me para onde houver arte todos os dias
Só não me afaste de meu Cristo, sem o qual viver não saberia

terça-feira, 26 de outubro de 2010

CORAÇÃO MINÚSCULO



Coração minúsculo
Quando me deixarás entrar?
Se tudo que eu mais quero é em ti habitar
Ó, dolorido e minúsculo coração!

Coração apertado
Que tirita de frio e tanto medo
Sufocado por mágoas e segredos
Abra-te a mim e tudo se dissipará

Coraçãozinho frágil
Tão fácil de quebrar, se espatifar
Deixe-me te remendar
Refarei você como novo em folha

Coração minúsculo
Eu escolhi você, desde sempre
Eu só quero uma chance de tentar
E prometo que não vais te arrepender

Coração sangrado e calado
Pela vida brutal espancado
Mas hoje renasce uma esperança
De juntar os pedaços outrora desprezados

Coraçãozinho impenetrável
Sangrei tanto para fazê-lo bater
Chorei tanto pra não vê-lo recuar
E hoje só quero poder entrar

Coração minúsculo
Eu escolhi você, desde sempre
Se me escolheres também, aqui estarei
Esperando o dia em que me receberás

domingo, 17 de outubro de 2010

CONFESSO


Confesso que te coroei com espinhos agudos
E rendi glórias a um punhado de inutilidades
Confesso que te dei migalhas de minutos
E passei horas falando de trivialidades

Confesso que só Tua presença me completa
Mas na hora que a coisa aperta
Fujo, me fecho, descreio de imediato
Por que eu sou tão ingrato? 

Confesso que tem vezes que dá vontade de sucumbir
Mas então paro e me lembro de Ti
Que foi até o fim, o último suspiro
Até tudo se consumar

Confesso que pequei porque quis
Não fugi, nem resisti, não me escondi
Mas agora sinto a dor cravando as garras 
Nesse meu peito de homem mau 

Confesso que orei de má vontade
Quando na verdade, a vontade era outra
E eu, que faço com essas confissões?
Espero o Rei lavá-las com sangue de amor

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O GRANDE GUERREIRO


Quem poderá se levantar contra ti, ó Grande Guerreiro?
Quem atentará em sã consciência contra o teu poder?
Tudo submetes debaixo de teus pés
Lanças mão de tua potente espada, sem nada temer

Ó Grande Cavaleiro, que majestade reluzente!
Me desfaço em adoração diante de ti
Sou completamente entregue e submiso
Canto tuas glórias e meu peito vibra com isso

Levanto as mãos e aplaudo até doerem as palmas
Ó Grande Rei, louvado seja teu esplendor!
Há tempos ansiava em me derreter novamente em teus altares
Mal espero pelo dia em que te verei nos ares

Quem ousará ferir algum dos teus pequeninos?
Tu, como leão defensor, não permites tal atrevimento
Pois com tua misericórdia e amor, envolve-nos em teus mantos
Ah, Senhor, quão doces são teus atos, teus encantos

Só me resta encher os pulmões e bradar que és Santo!
Ninguém há no universo que alcance teu brilho
Sei que posso descansar, andar tranqüilo
Pois o Grande Guerreiro por mim não para de batalhar

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

MISSÃO POESIA ENTRE OS 10 MAIS DO CONCURSO BLOGBOOKS


Quem acompanha minha vida virtual no Orkut, Twitter e, lógico, pelos blogs que tenho, sabe que há algum tempo estive fazendo campanhas em prol de minha participação no 2o concurso Blogbooks, realizado pela editora Ediouro, Universo do Autor e Singular Digital. Este prêmio visa transformar blogs em livros de verdade, mais precisamente 15 felizardos, um para cada categoria. Meti a cara para concorrer logo com os dois blogs: Marvin Cross e este aqui, nas categorias entretenimento e religião, respectivamente. Pois bem, no começo não fiquei muito empolgado. Achei que a concorrência era demais, então fiquei um tempo sem me dedicar muito a tal campanha. Hoje me arrependo um pouco disso.
No entanto, inspirado por alguns "(e)leitores", botei de novo pra arregaçar as mangas e trabalhei dobrado na campanha, quando vi que ambos os blogs estavam começando a receber uma quantidade significativa de votos, pelo menos pra mim que não depositava muita confiança que as pessoas gastariam seu precioso tempo clicando em links e digitando letrinhas complicadas para me ajudar, a ponto de me destacar. Enfim, o resultado parcial disso tem sido uma experiência empolgante e completamente nova. 
Primeiro, para dar um gás à ansiedade dos blogueiros, os organizadores divulgaram no dia 08/09 uma lista com os 25 mais votados em cada categoria: o Marvin e o Missão estavam figurando nessa lista, e fiquei muito orgulhoso. Mas a lista definitiva foi a que saiu neste dia 15, com os 10 de cada categoria que vão para a fase final, a que não mais depende de votações, mas da comissão julgadora que vai analisar os blogs finalistas e dar o tão aguardado parecer dia 24/09, ou seja, mais noites sem dormir, hehehehee...
Divido com vocês, amigos, esta bênção de Deus. Nunca que eu poderia sonhar em ficar classificado entre 10 trabalhos em nível de Brasil. E ainda por cima com o Missão Poesia, um blog bebê, cujos posts recebem poucos comentários e a atratividade é menor que a do Marvin, já que poesia é algo para um público bem seleto. Desde criança, nunca imaginei que meu primeiro livro publicado pudesse ser um de poesias, muito menos evangélicas, mas agora a possibilidade está aí. E a tensão é muita. 
Não vou negar que quero muito ganhar, e que eventualmente ficarei muito triste se perder, porém só de chegar até aqui é uma vitória muito grande. A alegria é inexpressável. 
Se você votou neste blog, mesmo que uma vez só, MUITO OBRIGADO. Deus te abençoe bastante, querido. E, Deus, Tu me surpreendeste grandemente.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

A VOZ DA DEPRESSÃO SOB A TEMPESTADE


Acordei num quarto sombrio, banhado de lágrimas
Lugar tão frio, pior que o vale das sombras
Desespero e arrepio perpassavam meu corpo gélido
Este, a saber, não era menos que meu universo trevoso

Acordado, porém, notei que era um sonho
Ou melhor, um quase-dormir, um estágio intermediário
Em que demônios tentavam assaltar-me a sanidade
E clamei a Deus, em pleno choque 

Andava eu por uma rua sem brilho, meus pés sobre barro
O cheiro da morte era intenso e pútrido, intoxicava
Minhas vestes rasgadas e sujas, eu quase um mulambo
Como posso ousar ser amado por tão grandioso Ser?

Penso o quanto poderias ter sido altamente depressivo
Pois razões tiveste, em meio a traíras e aproveitadores
Mas ouviste a voz do Pai sob a caudalosa tempestade
Assim também quero eu, Senhor, imitar-te

Acendo a luz do quarto e faço preces no chão cinzento
Oro em prantos, buscando alento, mais do que isso eu tento
Não ser danificado pelas minhas agruras e meus desvarios
Entontecido pela voz cavernosa e gutural desse mal, não mais

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

CONVITE À LOUCURA


Ando passos tortos em meio aos homens
Caçando rostos desconhecidos e empatia
Algo que me revele uma fuga, uma saída
Um sorriso que resgate a fé na vida 

Que tolice, creio eu!
Pensar que o amor gerado no coração de Deus
fosse o suficiente para aplacar nossa ira de cada dia
E nossa necessidade de ser egoístas

Uma voz sábia outrora falou
que lobos somos, devoramos a nós mesmos
E o amor acabou se tornando lenda em meio ao caos
Onde o "eu" basta para cumprir plena satisfação 

Debruçado sobre a Palavra que porta a verdade
Descubro aos prantos que o amor é uma loucura
E loucos é o que precisamos ser, para viver
Pois assim Deus nos chama, um doce convite à loucura

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

CONHEÇA A NOVA MÚSICA DO ANDRÉ VALADÃO!

Enquanto o novo CD não vem, fique com um gostinho do que será o próximo trabalho do cantor mineiro André Valadão, cuja última visita à Macapá, na expofeira do ano passado, lotou a arena de shows e rendeu uma noite de muita alegria, adoração e celebração. 
A música se chama "Até quando", faz um estilo pop rock e tem uma letra bastante diferente das que estamos acostumados ouvir de André. É um alerta àqueles que fazem do pecado um playground, arriscando sua salvação e pensando que podem deixar para pensar em Cristo a hora que bem entenderem. Abaixo, segue link para conferir essa novidade. Eu particularmente gostei muito.

ANDRÉ VALADÃO - ATÉ QUANDO (em mp3)

sábado, 28 de agosto de 2010

NA CONTRAMÃO


Meus sonhos são tão grandes
que nem cabem no meu peito
E sonhos mais vão surgindo
E se espremendo num espaço estreito

Sinto que posso explodir a qualquer minuto
Nesse estado de euforia, vontade de pular
Agarrar estrelas e brincar com elas como moleque
Olhando pro céu com reconhecimento

Escolhi um caminho de contramão
a todo sistema que me oprime
Posso não saber todas as respostas 
Mas morrerei, um dia, com poucas perguntas

Entreguei meu caminho em tuas mãos, Jesus 
Para deixar de tontear por aí numa vida falsa
Meus sonhos ainda são do tamanho de um mundo
Mas Deus é maior ainda...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

VOCÊ PRECISA DE LIBERTAÇÃO?

A reflexão de hoje indica o texto de Tiago 4:1

Muitas vezes somos abordados por amigos, parentes e outros conhecidos para que oremos por eles. Alguns desses casos são muito sérios, pois envolvem situações em que a pessoa a pedir oração está perturbada por algo que fez, algo que está afligindo sua vida ou por um receio de cometer algum (grande) erro. 
Alguns desses casos são tão críticos que nós, cristãos, como se fôssemos médicos, damos o diagnóstico: essa pessoa precisa de libertação. Entenda-se libertação aqui como um grande agir de Deus sobre aquela vida, a ponto de impactá-la e fazê-la mudar de atitude de uma vez por todas, a fim de se afastar ou desprezar para sempre aquilo que lhe traz tanto mal. 
Pensando nisso, resolvi escrever esta reflexão: quando para pra pensar demais na vida, essas coisas disparam em minha mente. E creio que todos nós, em uma escala maior ou menor, precisamos de libertação. Claro que não estou falando da liberdade conquistada pela morte de Cristo, pois isto é algo inerente a qualquer um que o receba como Senhor e Salvador. Entretanto, a história para por aí? E depois do "aceitar Jesus"?
A verdade é que o fato de vivermos uma vida baseada em princípios cristãos não está livre de sofrer investidas do "mundão". E somos igualmente humanos àqueles que ainda não se entregaram a Jesus. Eu já comentei com alguns amigos que nós devemos nos converter todo dia, porque a misericórdia do Senhor se renova a cada manhã, mas você já parou pra pensar por quê? Ora, porque nossa maldade também se renova a cada manhã.
Se, segundo a Bíblia, pecado é tudo do mesmo tamanho, então preciso sempre analisar minha vida, as coisas que faço, os lugares em que piso, as pessoas com quem converso, as palavras que saem de minha boca. Se tenho um amigo viciado em pornografia ou outro que tem o péssimo hábito de mentir, sei e julgo muito bem que tal criatura precisa se desprender imediatamente de tais práticas. Mas e eu? Há algo me impedindo de gastar mais tempo com meu Deus? Estou abrindo mão de minhas vontades e me sacrificando fazendo pelo menos um pouco do que agradaria a Deus? Por que há tantos indivíduos se dizendo crentes, evangélicos, gospel, cristãos e outras nomenclaturas mais, mas pensam que podem viver do jeito que quiserem? Alto lá, há princípios! Não se esqueça que o Senhor é outro, não você!
É esse o tipo de libertação que estou falando, a libertação diária, a autonegação. Difícil, claro, para alguns impossível. Mas o Senhor é paciente e se pudermos "treinar" um pouquinho a cada dia, faremos avanços impressionantes. Vamos aprender juntos e refletir! Não há culpados maiores de muitas das nossas aflições do que nós mesmos. Às vezes, por teimosia. Outras, por falta de sabedoria. Para ambas, oração. Um santo remédio. 
Amém.
Na santa paz de Cristo,
oro pra que essa reflexão tenha falado ao seu coração.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

SÓ EU E DEUS



A porta do quarto trancada e o silêncio reinando
É um momento íntimo, em que me encontro
Ponderando questões da vida, de tantos desencontros
E então Deus me visita

Pra me sussurrar palavras de esperança
De que o tempo é uma criança em suas mãos
Preso por seu domínio e autoridade
E que na verdade somente Ele governa

Quando em momentos assim, Deus e eu
Podemos partilhar inúmeras circunstâncias
Relembrar episódios lacrimosos
E outros, porém, valorosos

O mais consolador é saber que meu amigo Deus
Pode viajar para o ponto mais remoto do universo
Que mesmo assim ainda estará aqui
Inspirando-me a construir sublimes versos

Preciso manter essa chama sempre acesa,
Daquilo que temos vivido juntos, meu Senhor
Porque quero carregar até meus anos de velhice
E deixar ao longo da vida, marcas de encontros felizes

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ATÉ QUE ENFIM... OFICINA G3 VAI LANÇAR O DVD DDG EXPERIENCE!!!

É isso mesmo, galera. Finalmente, após mais de um ano de espera, o dvd DDG EXPERIENCE, da banda de rock cristão Oficina G3 será lançado. A banda fará o lançamento oficial no evento Expo Cristã, que ocorre em setembro em São Paulo. Baseado no CD "Depois da guerra", vencedor do Grammy Latino de melhor álbum cristão em língua portuguesa, o DDG parece ser uma grande aposta em termos técnicos no mercado evangélico, já que foi investido nele uma série de inovações ainda inéditas no meio da mídia cristã brasileira, como a captação das imagens feita com dois sistemas diferentes de câmeras, e o toque cinematográfico na fotografia do dvd. E sem falar, claro, que será o primeiro blu-ray evangélico a ser lançado no Brasil. 
Enfim, os integrantes da banda já declararam que está de cair o queixo e que demoraram tanto assim só para poder fazer um trabalho de excelência. Esperamos que não demore a chegar por aqui, porque a ansiedade é demais. E, claro, também esperamos que toda essa espera valha muito a pena. Enquanto isso, ficamos com a capa, que ilustra este post.

sábado, 31 de julho de 2010

MENOS UM DIA



Que triste é acordar com a sensação
De ter vivido menos um dia, e dia nenhum ter vivido
De ter deixado relegado ao passado
Aquilo que hoje poderia ser um presente

Como rasgarei as páginas mal escritas
De minha existência, um livro de memórias oscilantes?
Que revelam quadrantes vis e noutro, momentos dignos
Quero seguir em frente sem dívidas comigo mesmo

Preciso parar de ver esse reflexo distorcido
Nesse espelho embaçado que me esfrega meus desajustes
Onde guardei minha santidade, minha identidade?
Que vento levou meus anos de inocência?

Pelo meu rosto agora escorre essa maquiagem borrada
Da mentira, da boa aparência, sorrisos de bonecos plásticos
Exposta ferida nas madrugadas surdas à tua voz
Onde posso recuperar meu tempo perdido?

Desalojei-me da promessa e quase morri desabrigado
Enquanto gigantes pisoteavam minhas doces lembranças
Ah, Senhor, regressaria se pudesse aonde desperdicei
Vida, tempo e juventude, agora insanamente enterrados

Se ainda houver cheiro suave nas minhas palavras fracas
Ouça-me, te clamo, ó Poderosíssimo Paciente!
Que meus joelhos ralados já me deixam demente
E assinale com sangue a brevidade que em mim ainda pulsa

segunda-feira, 19 de julho de 2010

AS LÁGRIMAS


Lágrimas de solidão
Lágrimas de abandono
Lágrimas de erro
Lágrimas de desconsolo
Lágrimas, apenas

Lágrimas escorrendo
Lágrimas de veneno
Lágrimas de medo
Lágrimas entrecortadas
Lágrimas de desassossego

Lágrimas infantis
Lágrimas controladas
Lágrimas desabafadas
Lágrimas imperdoadas
Lágrimas incontidas

Lágrimas melodiosas
Lágrimas silenciosas
Lágrimas esganiçadas
Lágrimas clamorosas
Lágrimas esperançosas

Lágrimas, águas que fluem da alma
Alma, caixa vazia de fantasmas
Fantasmas de sofreguidão exorcisados
Exorcisados pelas lágrimas que banharam aquela cruz
Cruz, que marcou derrota das trevas pela luz!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

FERIDAS

Fui lançado diversas vezes ao chão
Como um cão desprezível me portei
Exibindo feridas abertas de desilusão
Não tinha amor, o mal encontrei

Neguei aquele sacrifício de amor
Aquela voz de águas calmas que dizia:
"Olha acima, ainda existe um motivo"
E então a voz se fez forte, fez trovão

Eu me angustio, me desespero
Se me distancio do teu perfeito esmero
Não quero o ontem, ele morreu no tempo
Eu quero é Deus, meu maior sustento

E se o anjo do inimigo me cercar
tentar pousar com suas garras sobre mim
O meu Senhor é quem vai batalhar
pra garantir o meu sucesso lá no fim

Agora chega dessa alma abatida!
Jesus, derrama vinho novo em minha vida!
Que eu me apaixone, que eu me abandone
em teus braços descanse e sonhe

segunda-feira, 21 de junho de 2010

TÚMULO



Um poema forte, com tons sombrios e uma pegada de melancolia. Sinta, através destas palavras, o lamento de alguém que rejeitou o bem mais precioso que pode existir. 


Assim que chegar o morrer
Eu quero vê-lo atravessando as paredes
Desse meu coração deserto
Qual destino é certo:
um túmulo reservado à solidão

Ah! Se outrora eu soubesse que eras o Cristo
Agora estaria vivo, e mais do que isto
Vida pulsaria em cada mover de minhas mãos
E seria capaz até de sonhar
De brincar, de plantar, de colher...

E tantos sorrisos enterrei, quando orgulhosamente
Guardei-me querendo ser são, não como os loucos tais
Que se rasgam em louvores a Ti, com aleluias
Quisera eu ter sido insano a tal ponto
Hoje estaria pronto pra morar contigo

Veio satanás visitar-me, levando rosas cinzentas
Cujas pétalas revelam cada ato vil e soberbo
E que o pobre de mim não conheceu limites
Agora clamo coberto de terra
Travando no inferno perdida guerra

Onde rangem os dentes e se pranteiam os maus
Onde arde o fogo e a carne dos perversos
Meu lugar, meu pós-morte, minha escolha
Para onde os anjos das densas trevas me levam
Pro tormento longe, Senhor, de Ti... Lamento!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SANTA MANHÃ


Este é um poema feito em junho de 2006 (quase 4 anos exatos); ele foi composto como oferta a Deus depois de eu ter recebido uma resposta a uma oração. Assim que acordei no dia seguinte à oração, cumpri ao Senhor o que prometera. Por isso ele tem esse título.


Viver em retidão, espinhoso caminho
Atrás de uma promessa azul-marinho
Dos altos céus vem o meu socorro
O sopro divino me empurra, me leva

Deus em Seu trono, Santa Providência!
Fidelidade que aos homens soa incrível
Mas eu, mesmo de carne, tenho consciência

Ó Senhor, Tu te derramas invencível

Aqui cumpro com prazer este tributo

Louvando feliz por tua resposta

Glória ao Rei! Glória ao amigo em tudo!

Só posso sentir tua mão imposta

E se eu cair, minhas asas não se quebrarão

Pois teu Espírito me dá sobrevivência

E pela fé conquisto a pré-paga salvação

Meu Cristo, obrigado por tua beneficência!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

EU PREFIRO ADORAR


Desgraças, lutas, perdas

Ainda assim, pelas pedras
caminhando sem rumo, sem norte ao certo
Eu prefiro adorar

Quando a tempestade vem
desabando sobre o telhado
caindo sobre meus ombros cansados
Eu prefiro adorar

Meu inimigo se ergue
em valentia e soberba
Deus, que é por mim até o fim
Ele é quem me sustenta

Eu prefiro adorar e cantar
Saber que alguém não desistiu
Até a última gota de sangue
entregou-se e me garantiu

Vida! Vida!
Eterna vida, conquistada a caro preço
Vida! Sofrida vida!
Mas Ele me deu um novo começo

Como poderei não adorar?
Eu prefiro a dor que ensina e me edifica
Eu prefiro me jogar em teus braços
Por tantas razões, Senhor...
Eu prefiro adorar

domingo, 23 de maio de 2010

FOLHA QUE CAI




Eu já não posso parar de chorar
Embora eu tente
As lágrimas tem vida própria,
E rolam pela minha face abatida

Sou uma brisa fria de inverno
Uma folha sem vida, caída
Fiz-me pecador voluntário dessa ilusão
Varra-me o vento se eu persistir

Morrer, se assim Deus me permitir
Pra quê? Por quê? Escape?
Covarde necessidade de me ausentar
dos sonhos, promessas e derrotas

Meus pés me levam aonde não há firmeza
E caio, afundo, a alma presa
Confiar em Deus é um salto de fé
Meu pobre coração molenga hesita

Sou um raio de sol às seis horas
Inócuo, fraco e sem calor
Deus guerreia minhas batalhas
E endireita minhas falhas

Ainda escorrem lágrimas arrependidas
Aperta o peito ao ver no espelho
Que chegou o outono em minha vida
Que Deus renove essa estação!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

COMPLETAMENTE PERDIDO


O menino chorou a noite inteira
As lembranças, as dores
Tudo que o machuca, que o assusta
Quanto custa?
Ele quer saber o preço do amor

E o coitado gira, gira, gira, não acha
algum pensamento que o satisfaça
que o faça ver luz e ouvir melodias
Mas sua vida está em trevas
Como as ervas, quão seco ele parece!

O menino chora sangue, enlouquece
O diabo maldito o enfraquece
Mas minhas orações irão alcançá-lo
Aguente, menino, o amor te salvará
Com Deus você está, Ele te consola

Está completamente perdido e cadavérico
Coração colérico! Deus te salvou
O prato é seco e a lágrima parou,
Amém, Senhor!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

BORBOLETAS NA JANELA



O Senhor colocou borboletas na minha janela
Assim que o dia amanheceu sorrindo
Perfumou meu quarto com flores de primavera

Me visitou enquanto estava dormindo


A minha cabeça vive agora incendiada

de inspiração e de razão para adorar

Aqui em mim há um espírito a repousar

que traz a mim aquela paz tão desejada


Mas, Pai Divino, não me deixe um egoísta
Quero ser vaso, dividir minha conquista

Levai algumas dessas borboletas tuas
pra colorir a escuridão de nossas ruas

Ó Santo e lindo, o que sou para contigo?

Que não mereço ver-me livre do perigo

Não sou nada pra te ter como amigo
Mas não negas o refúgio e o abrigo


O Senhor colocou borboletas nas nossas janelas

São as bênçãos que batendo suas asas
nos animam, alegrando as nossas casas
Deus é Santo e Sua Palavra me revela



Obrigado, Senhor, pelas tantas borboletas...

quinta-feira, 29 de abril de 2010

VERSOS A DEUS

A ti, clamando e orando, Pai dos humildes
Abriga os enfermos e os despedaçados
Reverte-nos com a couraça da vida
Para que a Ti voltemos limpos e renovados

Sensações indescritíveis na tua presença
Glória ao verdadeiro Santo do impossível!
Aquele que habita o meu coração
e me revela ser o magnífico indefinível

Entra agora, Deus de Israel, pela dianteira
Cubra-me com Tua brancura e majestade
Eu te bendigo e agradeço, ó aleluia!
Por de mim teres misericórdia e piedade

Meu amor procura o Senhor em orações
E sua obra me põe na direção dos retos e bons
Deixa-me, Cristo, cantar-te em versos
e encher Teus ouvidos ao recitar estes sons


Toda a honra a Deus para sempre!!


LIBERTO





Minha alma geme tão alto que não posso conter
As feridas dessa vida me afligem pra eu morrer
Quero tanto, em meio ao pranto, ver ainda que há razão
Uma forma, uma maneira de escapar da escuridão

Pecado!
“Perdão”
Pecado!
“Perdão”

Ver teus olhos em tristeza repousando sobre mim
Essa fome, essa ânsia, a incerteza de um fim
Tatuado no meu corpo, o pecado impregnado
Me socorre, me liberta, quero ser purificado

Pecado!
“Perdão”
Pecado!
“Perdão”

Não me importo com as riquezas se a vida eu perder
Santo Rei, respire em mim pra que eu possa renascer
Liberdade, liberdade, celebrar com meu Senhor
Venha a mim tua mão, me acalma nessa luta e nessa dor

Pecado!
“Perdão”
Pecado!
LIBERTAÇÃO!!!

NO AR... MISSÃO POESIA

Atenção, galera!!!
Este é um novo marco na publicação de textos de minha autoria. Senti em meu coração o desejo vivaz de compartilhar meus poemas e textos de cunho exclusivamente cristão.
Para quem já acessa meu outro blog, o
marvincross.blogspot.com, eis uma outra opção onde também colocarei sempre criações literárias de minha autoria e, quem sabe futuramente, de outros. Que esse seja um veículo usado para a arte poética servir de louvor e adoração ao nome de Cristo, bem como de reflexão e edificação àqueles que visitarem este humilde espaço.
Que Deus abençoe a todos e fiquem à vontade para comentar, criticar e voltar sempre que puderem. Estarei periodicamente atualizando o conteúdo.